Mês do Orgulho LGBT: artistas LGBTQ+ celebram o amor com diversidade

No Mês do orgulho LGBTQ+ são levantadas importantes pautas em direitos para a comunidade e esse ano o tema do Dia do Orgulho LGBT em São Paulo é democracia. Por isso, queremos relembrar que a democracia só é válida quando inclui também toda forma de amor.

Trouxemos algumas músicas que abordam o tema amor de diversos olhares e são cantadas por artistas LGBTQ. Aperta o play:

Conhecendo o amor

Hayley Kiyoko em “I Wish” canta sobre a vontade de conhecer o amor de verdade com outra garota, aquele em que ela é aceita por quem realmente é, sem repreensões, ao contrário da relação que ela vive no momento. Infelizmente, estar em uma relação em que não nos sentimos completamente aceitos é mais comum do que deveria.

A doação

Troye Sivan em “Bloom” fala sobre sua entrega a outra pessoa de forma pura. Para a revista “Dazed”, Troye contou que a música também fala sobre perder a virgindade. De forma geral, a letra pode ser interpretada como o momento em que você decide se doar por inteiro para alguém especial.

A decepção

Sabemos que no amor nem tudo são flores e em qualquer relacionamento estamos sujeitos a decepções. Em “Checkmate”, Conan Gray se sente traído por dois crushes que resolvem ficar juntos. Quem nunca? Apesar de outras insinuações sobre ser bissexual, Conan nunca falou abertamente sobre seus pronomes.

O outro lado

Miley Cyrus já declarou ser pansexual e em “She’s Not Him” se desculpa com uma garota lamentando nunca poder gostar dela como gosta de outro cara. Apesar disso, a música destaca tudo que a garota tem para ser amada como merece. O amor tem dessas.

Seguindo em frente

Sam Smith, ao lado de Normani, em “Dancing With A Stranger” só quer saber de seguir em frente, apesar de nunca se ver completamente desligado do ex-namorado. Ele tenta também encontrar a superação em estranhos. Quem já teve o coração partido sabe bem como é essa sensação.

Relacionamento casual

Kim Petras já está cansada dos ex’s e só quer saber de se divertir em uma relação casual em “Hills”. A música narra suas aventuras com o parceiro e também faz analogia ao uso de drogas em Los Angeles.

Amor próprio

O amor próprio e a valorização da identidade talvez sejam mesmo a chave necessária antes de partir para outra relação. Em “Mulher”, Linn da Quebrada canta sobre a realidade de muitas travestis no Brasil e sobre o poder feminino de cada uma.

Ouça artistas LGBTQ+! <3

Cintia Luz Lima

Jornalista - São Paulo, SP

Não há comentários ainda

Comentários

Seu email não será publicado.